A importância do planejamento logístico com foco no crescimento da demanda da cadeia produtiva de alimentos até 2050

Elaine de Fátima Soares Macedo, Nelson Nishizaki Júnior

Resumo


Nas últimas décadas o Brasil apresentou um crescimento expressivo na produção e exportação agrícola e pecuária, assumindo uma posição de destaque no mercado mundial do agronegócio. Sua extensão territorial, localização geográfica e clima, aliados aos recursos naturais abundantes revelam a vocação do país em se tornar o principal fornecedor mundial de alimentos. Estudos recentes da ONU estimam que até o ano 2050 a população mundial atingirá mais de nove bilhões de pessoas, e sua agência especializada para a alimentação e agricultura – FAO – alerta que o grande desafio para o futuro será produzir alimentos para todas essas pessoas. Um dos relatórios da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE – em conjunto com a FAO aponta que o Brasil será o maior exportador de alimentos do mundo até 2024, projetando o país como um dos maiores produtores mundiais de alimentos que atenderão a demanda populacional de 2050. Baseados nestas informações o presente artigo cita as principais culturas produzidas e exportadas pelo Brasil, discorre sobre o uso e aprimoramento das tecnologias na produção, sobre o índice de desempenho logístico – LPI, expõe a importância do planejamento logístico da cadeia produtiva de alimentos e seus principais entraves apontando outras barreiras a serem superadas para atingir o objetivo de produção de alimentos em escala global, através do uso de práticas sustentáveis, implementação do sistema ILPF pelos produtores, redução do desperdício de alimentos e aumento da eficiência logística.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REFAS - Revista Fatec Zona Sul

Licença Creative Commons CC BY-NC-ND.